Spoiler – O novo beijo de amor

Queria falar um pouco sobre os filmes que vi esses dias. Na semana retrasada assisti Frozen e no sábado passado Malévola, ambos da Disney, ambos lindos e apaixonantes. Fiquei muito surpreendida e feliz em ver que as princesas dos dias de hoje não ficam mais a espera do beijo do seu príncipe encantado, que era quem quebrava o feitiço do mal contra as lindas e dóceis mocinhas. Além disso, estes novos filmes são mais fidedignos a realidade da natureza humana, em que nem sempre o bonzinho é só o bonzinho e o malzinho é o vilão. Em Frozen, a bela Elsa, que até então passa a imagem de ser a personagem principal, é a linda vilã da história, que sem querer, meio que querendo, lança o mal ao coração de sua irmã Anna, a desastrada heroína que fica a beira da morte. A cura do mal seria o beijo do verdadeiro amor. Surpreendentemente, o beijo do mocinho não a revive, mas sim o beijo da própria irmã Elsa. 65238922512327 Já em Malévola o enredo se repete, a antiga bruxa do mau que conhecemos em nossas infâncias é na verdade uma doce fada protetora do seu reino escondido, mas que um dia teve seu coração partido, traída pelo seu primeiro e único amor, Stefan o ganancioso. Ao fim da encantadora trama, quem tira a pequena Aurora de seu sono profundo não é o jovem príncipe ao beijá-la, mas sim a própria Malévola que lhe concedeu o feitiço, sendo ela o bem e o mal do enredo. malevola Na realidade penso que não existe o bem e o mau, mas sim momentos de bem e de mau. Ninguém é mau 100% e ninguém e bom 100%. Lógico que tem pessoas que fazem maus maiores às outras e por isso são taxadas de más, pela gravidade e pela falta de arrependimento. Quanto ao beijo de amor, talvez o que vale hoje de verdade é o amor fraterno, a amizade, a cumplicidade e não o fato de querer amar. Não deixem de assistir esses filmes, são mais que um conto de fadas e princesas indefesas, são sim uma lição para a vida toda. Beijos

Advertisements

Os animais também têm dietas!

Falando em dieta, juntando a minha profissão a vida real, os animais de produção também possuem nutricionistas que trabalham arduamente ajustando suas dietas.

Quando eu menciono que fiz Especialização em nutrição de ruminantes (os ruminantes são as vacas, bois, búfalos, ovelhas, cabras etc) as pessoas me perguntam o porque. Gente, os animais de produção tem sim dietas específicas para poderem expressar ao máximo seus potenciais, seja em produção de leite, carnes, ovos, lã.

Os atletas de alta performance necessitam comer quantidades de proteínas, carboidratos, lipídeos, vitaminas e minerais na medida exata para conseguirem atingir os seus objetivos, sejam eles ganho de massa magra ou baixar o tempo numa prova de corrida. Assim são as vacas leiteiras, precisam de uma dieta balanceada para produzirem grandes quantidades de leite e com qualidade. Se faltar fibra na dieta das vacas (sim as vacas necessitam muito de fibras, igual a gente) pode acontecer de o leite que ela produz ter menos gordura que o desejado. E assim é para todos os animais de produção… O organismo deles têm exigências que devem ser atendidas para produzir um alimento de qualidade para nós humanos.

Há trabalhos científicos atuais focados em alimentos funcionais, ou seja enriquecidos com nutrientes específicos e que tem o objetivo de nos beneficiar. Um exemplo é o selênio, esse mineral é um poderoso aliado contra o desenvolvimento do câncer de próstata e mama. Quando adicionamos maiores concentrações do mineral na dieta de frangos, mais mineral fica armazenado nos seus músculos, e quando a gente come aquele peito de frango grelhado de um animal que teve em sua dieta quantidades ótimas de selênio, a gente se beneficia de um alimento com mais selênio também.

20140417-163556.jpg